segunda-feira, 28 de novembro de 2011

MEC apresentará currículo escolar nacional em dezembro de 2012

Marina Morena Costa, iG São Paulo 28/11/2011 18:40Expectativas de aprendizagem devem nortear o ensino infantil e fundamental. Secretárias, educadores e população serão consultados.


O Ministério da Educação (MEC) irá finalizar no ano que vem a elaboração de um currículo nacional para a educação infantil e o ensino fundamental. A apresentação do texto final deve ser feita em dezembro de 2012. A previsão foi feita pela secretária de Educação Básica, Maria Pilar do Lacerda, durante o seminário Diretrizes Curriculares e Expectativas de Aprendizagem, realizado nesta segunda-feira, pela Fundação Itaú-Social em São Paulo.

A elaboração do currículo nacional será baseada nas Diretrizes Curriculares Nacionais – aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e homologadas pelo ministro da Educação Fernando Haddad. “As diretrizes são amplas e não apontam o que a criança deve aprender de uma forma mais diretiva”, diz Pilar.
O currículo será uma base nacional comum que determinará as expectativas de aprendizagem em cada etapa do ensino e as condições necessárias para o aluno aprender, como o tempo em sala de aula, o contato com a literatura e a quantidade de livros trabalhada. Estados e municípios poderão acrescentar suas especificidades a este conteúdo básico.
Segundo a secretária, o currículo vai organizar também a formação do professor e os materiais didáticos. Deve influenciar inclusive as matrizes da Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente – a primeira edição será aplicada em agosto de 2012. “Se eu sei o que a criança deve aprender e se eu sei o que ensinar, também devo saber como ensinar”, completa.
A elaboração do currículo nacional se dará ao longo de 2012, com consultas públicas e debates entre secretários estaduais e municipais, educadores, sociedade civil e entidades acadêmicas.
A secretária de educação municipal do Rio de Janeiro, Claudia Costin, elogiou a iniciativa: “Não é possível melhorar a qualidade da educação se a gente não souber o que queremos ensinar”. A capital carioca desenhou seu próprio currículo e organizou as expectativas de aprendizagem em blocos de dois meses. O impacto positivo se deu principalmente na recuperação dos alunos, que agora é diagnosticada e aplicada mais rapidamente.
Base fundamental
Para o especialista em avaliações educacionais Francisco Soares a definição de um currículo nacional é de fundamental importância. “O direito à educação vai continuar vazio se a gente não souber o que ele é exatamente”, afirma o professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Soares acredita que não haverá problemas entre as redes, pois o básico “é fácil de ser consenso”.
Priscila Cruz, diretora-executiva do movimento Todos pela Educação, destaca que é preciso um pacto nacional para que o currículo seja elaborado e apresentado na data prometida. Ela destaca que há setores contrários, mas avalia que a apresentação de um currículo básico orientaria melhor o ensino. “Hoje o sistema é muito injusto, a gente avalia com a Prova Brasil, cobra resultados no Ideb (Índice da Educação Básica), mas não diz claramente o que espera que seja ensinado”, aponta.
A elaboração de um currículo nacional é uma das exigências do Plano Nacional de Educação (PNE). O documento apresenta estratégias e metas para o período de 2011-2020, mas ainda não foi aprovado pelo Congresso Nacional. Segundo o documento elaborado pelo Executivo, a meta 2, "Universalizar o ensino fundamental de nove anos para toda população de 6 a 14 anos", tem como estratégias criar mecanismos para o acompanhamento individual de cada estudante e definir expectativas de aprendizagem para todos os anos do ensino fundamental "de maneira a assegurar a formação básica comum, reconhecendo a especificidade da infância e da adolescência, os novos saberes e os tempos escolares".

A dor da desprogramação

Tenho recebido nesses últimos meses muitos relatos de pessoas que comentam estar passando por um sentimento, uma sensação de vazio em suas vidas, muitas vezes indescritível...

Essas pessoas não conseguem descrever essa sensação, pois ela está aquém da compreensão humana (consciente) - pelo menos para aqueles que estão vivendo essa era, essa época, essa fase de ciclo.
A melhor e mais fácil definição para esse pensamento é a DEPRESSÃO. Uma palavra que engloba tudo aquilo que não conseguimos explicar nessa vida moderna. Quando não se sabe o que está sentido, logo, só pode ser = depressão.
Quero alertar a vocês que depressão é uma palavra símbolo que expressa MEDO. MEDO, MEDO de tudo. E quando não sabemos do que temer – conscientemente – atribuímos a isso a sensação de vazio, pois acreditamos que só se pode ter medo daquilo que nos cause perigo físico. Aquilo que nos coloca em risco de morte ou danos irreparáveis físicos...
Você está de saco cheio?!
Está com raiva, uma ira profunda de tudo que o cerca?
O disparador universal da ira é a sensação de estar em perigo.
Esse perigo nos dá medo e como somos diferentes, alguns ATACAM o primeiro que aparecer, ou FOGEM, vai deitar e dormir o dia todo, aguardando que alguém lhe diga que o pior já passou...
A depressão é ansiedade daquilo que não sabemos lidar futuramente. Ficamos tão equivocados com nossos sentimentos que passamos a usar os sentimentos que temos em nossa formação pessoal, individual.
Esse medo do FUTURO não necessariamente pode ser de uma AMEAÇA FÍSICA, mas de uma AGRESSÃO a nossa AUTO ESTIMA ou DIGNIDADE ou a um tratamento INJUSTO, grosseiro, um INSULTO a nossa INTELIGÊNCIA ou na FRUSTRAÇÃO de nossos OBJETIVOS mais íntimos
Todo sintoma é a expressão de uma falta, nos mostrando algo que falta para a nossa integridade, que falta para nos completar como seres programados que fomos para isso.
Nos deram a polaridade das coisas – bom/mal; feio/bonito; rico/pobre; gordo; magro; alto/baixo; doente/saudável, para que sempre ficássemos a procura de UM dos LADOS, quando devemos estar NO MEIO!
Nos deram a crença RELIGIOSA para nos ensinar a não assumir nossas responsabilidades – delegando poderes a um ser DIVINO, uma entidade que resolveria todos nossos problemas. Rogamos a esse ser divino que nos livre de todo mal, pois somos incapazes de fazer isso por iniciativa própria – NUNCA nos ensinaram isso! Temos MEDO de falhar! Nos ensinaram a transferir nossas vidas para símbolos. E delegamos PODER para esses símbolos – dinheiro, status, os estudos, os títulos etc...
No mundo de hoje vivemos 24h do tempo sob o medo, nos protegendo de algo, portanto temos um fluxo constante de hormônios do estresse no corpo. Essa é a idéia deles. Nos ocupar com problemas para resolver diariamente, pois só assim não voltaríamos nossa atenção para aprender coisas que não devemos exercitar – isso estragaria os seus planos, sua AGENDA.
Sinto informar a todos que estão padecendo desse mal chamado – ‘buraco negro’, vazio, depressão, preguiça, ostracismo, síndrome do pânico, enxaqueca, labirintismo, freqüentes gripes e infecções – chama-se MEDO.
Quem se defende dos ataques externos com consciência não precisa empurrar o tema para o corpo.
Pessoas que enfrentam a vida abertamente dispõem de uma defesa corporal saudável, sendo menos propensa a infecções. A preguiça nada mais é do que deficiência de energia, gerada por pensamentos indecisos, medrosos e controladores.
Estamos cansados, desanimados e desestimulados a prosseguir, a seguir em frente na busca de novas alternativas que nos façam vibrar novamente. Os objetivos de antes não fazem mais sentido hoje.
E esse pensamento tem a ver com deslocamento de energia, estamos gastando maior parte dela para nos proteger de coisas absurdas, hipotéticas, ao invés de crescer, evoluir conscientemente com atitudes e providencias que nos deixe bem, radiantes, confiantes de que há um futuro maravilhoso nos aguardando. Há um lugar para onde ir. Há uma nova meta a ser proposta. Um mundo novo dentro desse mundo velho.
Os sintomas nos mostram aquilo que não queremos ver. A doença é um modo de aprender algo sobre você mesmo. Compreender que a doença é o reflexo de seu comportamento, palavras, pensamentos e sentimentos, é um passo para a sua evolução. Comece a fazer algo para mudar – AGORA.
Estamos passando por uma experiência única no momento da humanidade. Estamos descobrindo quem somos, por que somos e para onde vamos e as respostas são totalmente diferentes das que estávamos acostumados a ter anos e anos atrás...
O que você está sentindo é a desprogramação em sua mente acontecendo.
Isso DÓI, viu !!!
É uma dor diferente da que estamos acostumados a sentir. É uma sensação que pesa, arranha, embaralha, atormenta e confunde nossa mente já bagunçada. É necessário ser muito, mas muito equilibrado para não pirar.
Não temos informação suficiente (ou que nos convença), para colocar no lugar daquilo que foi deletado. Nosso HD está sendo reprogramado. Isso leva um tempo para refazer. Não é da noite para o dia.
Tiramos velhos conceitos sobre determinismo dos eventos. Deletamos propósitos sem fundamento – do tipo trabalhar, trabalhar, trabalhar para... pra que mesmo, eim? Vemos coisas que não víamos antes que estavam na nossa cara. Vemos monstros que nos estendiam a mão. Vemos anjos que nunca puderam fazê-lo. Vemos hipócritas por todos os lados. Sentimos compaixão por pessoas que não conhecemos. Estamos mais solidários com o que acontece no Uzbequistão, mesmo que nem saibamos onde fica isso!
Estamos mais atentos a chuva que cai na China. Ela sempre caiu, mas agora parece que nos afeta. Nos pegamos tentando entender mensagens de todas as raças, de todas as tribos, de todos os povos, mesmo que eles estejam anos luz daqui. Vejam que mudamos muito. Antigamente só tínhamos olhos para nosso umbigo. Para os pneus careca do nosso carro, para o evento dos finais de semana. Tem gente que só vive finais de semana! Estão mortos de segunda a sexta.
Gente!! Temos que estar vivos todos os dias!!
Tenham capacidade de motivar-se
Persistam diante de frustrações
Controlem seus impulsos materialistas
Adiem suas satisfações mesquinhas e egocêntricas, ajude ao outro.
Regule seu próprio estado de espírito. Não espere que alguém o faça.
Impeça que a aflição, a angustia, o medo invada seu raciocínio
Crie empatia relacionando-se com pessoas fora de seu circulo social. Tenha outros mundos, outros horizontes.
Seja agradecido. Agradeça a todos a sua volta por fazerem de sua vida uma rica experiência para seu aprendizado.
Saiba esperar...
Tenham paciência. Falta pouco para que essa angústia passe.
Eu acredito que você vai se sair bem. Como toda enfermidade, depois que os sintomas passam, as coisas ficam lindas, maravilhosas de novo. A gente se enche de vontade de voltar a existir de novamente.
Dedico esse texto a minha irmã Ana, que se não fosse por ela, eu já teria desistido...
Laura Botelho
* Texto recebido por e-mail.

Os efeitos incríveis da gratidão

Pesquisadores mostram como o sentimento de mostrar-se agradecido melhora o sono, além de diminuir a ansiedade e a depressão

http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/conteudo.phtml?tl=1&id=1196331&tit=Os-efeitos-incriveis-da-gratidao
O ato de cultivar uma “atitude de gratidão” tem sido relacionado por psicólogos a uma saúde me­­lhor, a um sono mais profundo, a menor ansiedade e depressão, a maior satisfação com a vida a longo prazo e a um comportamento mais gentil para com os outros, inclusive parceiros românticos.
Um novo estudo demonstra que sentir-se grato faz com que as pessoas se tornem menos passíveis de ficarem agressivas quando provocadas.
Mas, e se você não for do tipo grato? De acordo com os pesquisadores, comece com uma gratidão “light”. Esse é o termo usado por Robert A. Emmons, da Uni­­versi­­dade da Califórnia, em Da­­vis, para a técnica que ele utilizou em seus experimentos pioneiros conduzidos juntamente com Michael E. McCullough, da Uni­­versidade de Miami.
Eles instruíram as pessoas a manter um diário listando cinco coisas pelas quais elas se sentiam gratas, como a generosidade de um amigo, algo que aprenderam ou um pôr do sol que lhes tenha agradado.
O diário de gratidão era breve – só uma frase para cada uma das cinco coisas – e era preenchido só uma vez por semana, mas após dois meses houve efeitos significativos. Em comparação com o grupo de controle, os indivíduos que mantiveram o diário de gratidão eram mais otimistas e mais felizes. Eles relataram menos problemas físicos e passaram mais tempo se exercitando.
Outros benefícios foram observados num estudo de sobreviventes de poliomielite e outros com problemas neuromusculares. Aqueles que mantiveram um diário de gratidão relataram se sentir mais felizes e mais otimistas do que aqueles no grupo de controle, e esses relatos foram corroborados com observações de seus cônjuges. Essas pessoas gratas também adormeciam mais rapidamente à noite, tinham um sono mais longo e acordavam se sentindo mais renovadas.
“Se você quer dormir melhor, conte seus benefícios em vez de carneirinhos”, aconselha Em­­mons no livro Thanks! (“Obriga­­do!”, em tradução livre), sobre a pesquisa da gratidão.
Mas não confunda gratidão com endividamento. Claro, você pode se sentir obrigado a devolver um favor, mas isso não é gratidão, pelo menos não segundo a definição dos psicólogos. Endivida­­mento é um sentimento mais negativo e não resulta nos mesmos benefícios que a gratidão, que lhe inclina a ser gentil com todos, não somente um benfeitor.
Reação em cadeia
Num experimento da Univer­­sidade Northeastern, Monica Bartlett e David DeSteno sabotaram os computadores de cada participante e armaram para que um outro aluno os consertasse. De­­pois disso, os alunos que haviam sido ajudados eram mais passíveis de se voluntariarem para ajudar outra pessoa – um completo estranho – em alguma tarefa não relacionada. A gratidão promoveu carma bom. E se funciona com estranhos...
Tente com a sua família. Não importa o quão disfuncional ela seja, a gratidão ainda pode funcionar, diz Sonja Lyubomirsky da Universidade de Califórnia, em Riverside.
“Agradeça por cada gesto gentil ou generoso. Expresse sua admiração pelas habilidades ou talentos alheios – usar com destreza uma faca de cozinha, por exemplo. E dê ouvidos de verdade, mesmo quando o seu avô estiver lhe entediando novamente com a mesma história da Segunda Guerra Mundial”, diz.
Sentimento diminui agressividade
Um experimento recente da Universidade de Kentucky mostrou o que acontece quando você ataca alguém que o incomoda. Após entregarem uma redação, alguns alunos receberam elogios enquanto outros receberam uma avaliação mordaz: “Esta é uma das piores redações que eu já li!”
Depois, cada aluno jogou um jogo de computador contra a pessoa que havia feito a avaliação. O ganhador do jogo poderia administrar uma descarga de barulho contra o perdedor. Não é de surpreender que os redatores insultados retaliaram contra seus críticos submetendo-os a descargas especialmente altas – muito mais altas do que o barulho administrado pelos alunos que haviam recebido avaliações positivas.
Mas houve uma exceção a essa tendência entre um subgrupo dos alunos: aqueles que foram instruídos a escrever redações sobre coisas pelas quais eram gratos. Após esse exercício em contar seus benefícios, eles não se sentiram incomodados pela crítica negativa – ou pelo menos não se sentiram compelidos a aumentar o barulho contra seus críticos.
“A gratidão é mais do que só sentir-se bem”, disse Nathan DeWall, que orientou o estudo na Kentucky. Ao aumentar a empatia, ela ajuda as pessoas a ficarem menos agressivas. “É uma emoção com oportunidades iguais. Qualquer um pode experienciá-la e se beneficiar dela”.
Tradução de Adriano Scandolara.

domingo, 27 de novembro de 2011

Lindos!!!!

Vampiros de energias

Todos nós os conhecemos, sabemos como são, como se vestem, como agem e seus propósitos: sugar o sangue de suas vítimas, pois só assim sobrevivem.

Esses são os vampiros dos filmes, seres errantes de capa preta e grandes dentes, ávidos por sangue, que andam pelas sombras em busca de suas vítimas.
Mas existe um tipo de vampiro que convivemos diariamente - os vampiros de energia.
Eles podem ser nosso irmão, marido ou esposa, empregado, amigo, vizinho, gerente do banco, ou seja, qualquer um do nosso convívio.
Eles roubam energia vital, comum no universo, mas que eles não conseguem receber. Mas, afinal, por que estas pessoas sugam nossa energia?
Bem, em primeiro lugar a maioria dos vampiros de energia atua inconscientemente, sugando a energia sem saber o que estão fazendo.
Isso acontece porque elas não conseguem absorver as energias das fontes naturais e ficam desequilibradas energeticamente.
Quando essas pessoas bloqueiam o recebimento destas energias naturais (ou vitais), precisam encontrar outras fontes mais próximas, que nada mais são do que as pessoas ao redor.
Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro da vida, quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos tornando vampiros da energia alheia. Como identificar e combater essas pessoas?
1. Vampiro cobrador: cobra sempre, de tudo e todos.
Quando nos encontramos com ele, já vem cobrando o porquê não lhe telefonamos ou visitamos.
Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, abrirá as portas.
O melhor é usar de sua própria arma, cobrando de volta e perguntando por que ele não liga ou aparece.
Deixe-o confuso, sem tempo para retrucar e se retire rapidamente.
2. Vampiro crítico: crítica tudo e todos, e o pior que é só critica negativamente.
Vê a vida somente pelo lado sombrio.
A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma escuro e pesado, que abrirá seu sistema para que a energia seja sugada.
Diga "não" à suas críticas e nunca concorde com ele.
O melhor é cair fora e cortar o contato. 13 mai excluir
3. Vampiro adulador: o famoso puxa-saco.
Adula o ego da vítima, cobrindo-a de elogios falsos, tentando seduzi-la.
Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura para sugar a energia.
4. Vampiro reclamador: reclama de tudo e de todos.
Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar.
O mais engraçado é que nem sempre dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus protestos.
A melhor tática é deixá-lo falando sozinho.
5. Vampiro inquiridor: sua língua é uma metralhadora.
Dispara perguntas sobre tudo e não dá tempo para que a vítima responda.
Na verdade ele não quer respostas, mas sim desestabilizar o equilíbrio mental da vítima, perturbando seu fluxo de pensamentos.
Para sair de suas garras, não se ocupe à procura de respostas.
Reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal, contundente e procure se afastar assim que possível.
6. Vampiro lamentoso: são os lamentadores profissionais, que anos a fio choram suas desgraças.
Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo.
Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena.
É sempre o coitado, a vítima.
Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, pois elas não resolvem situação alguma.
7. Vampiro pegajoso: investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Parece um polvo
querendo envolver a pessoa com seus tentáculos.
Ele suga a energia seduzindo ou provocando náuseas e repulsa.
Nos dois casos você estará desestabilizado e vulnerável.
Invente uma desculpa e fuja rapidamente.
8. Vampiro grilo-falante: a porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido.
Pode falar durante horas, e enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital.
Para livrar-se invente uma desculpa, levante-se e vá embora. 13 mai excluir
9. Vampiro hipocondríaco: cada dia aparece com uma doença nova.
É desse jeito que chama a atenção dos outros, despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba a energia do ouvinte, que depois sente-se péssimo.
10. Vampiro encrenqueiro: para ele o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na
base do tapa.
Quer que a vítima compre sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo.
Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia.
Não dê campo para a agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro.
Bem, agora que você já conhece como agem os vampiros de energia, livre-se deles o mais rápido possível.
Mas, não esqueça de verificar se você, sem querer é obvio, não faz parte dessa lista...

Código de Ética dos Índios Norte-Americanos

1. Levante com o Sol para orar. Ore sozinho.

Ore com freqüência.
O Grande Espírito o escutará, se você ao menos, falar.
2. Seja tolerante com aqueles que estão perdidos no caminho.
A ignorância, o convencimento, a raiva, o ciúme e a avareza, originam-se de uma alma perdida.
Ore para que eles encontrem o caminho do Grande Espírito.
3. Procure conhecer-se, por si mesmo.
Não permita que outros façam seu caminho por você.
É sua estrada, e somente sua.
Outros podem andar ao seu lado, mas ninguém pode andar por você.
4. Trate os convidados em seu lar com muita consideração.
Sirva-os o melhor alimento, a melhor cama e trate-os com respeito e honra.
5. Não tome o que não é seu.
Seja de uma pessoa, da comunidade, da natureza, ou da cultura.
Se não lhe foi dado, não é seu.
6. Respeite todas as coisas que foram colocadas sobre a Terra.
Sejam elas pessoas, plantas ou animais.
7. Respeite os pensamentos, desejos e palavras das pessoas.
Nunca interrompa os outros nem ridicularize, nem rudemente os imite.
Permita a cada pessoa o direito da expressão pessoal.
8. Nunca fale dos outros de uma maneira má.
A energia negativa que você colocar para fora no universo, voltará multiplicada a você.
9. Todas as pessoas cometem erros.
E todos os erros podem ser perdoados.
10. Pensamentos maus causam doenças da mente, do corpo e do espírito.
Pratique o otimismo.
11. A natureza não é para nós, ela é uma parte de nós.
Toda a natureza faz parte da nossa família Terrenal.
12. As crianças são as sementes do nosso futuro.
Plante amor nos seus corações e ágüe com sabedoria e lições da vida.
Quando forem crescidos, dê-lhes espaço para que cresçam.
13. Evite machucar os corações das pessoas.
O veneno da dor causada a outros, retornará a você.
14. Seja sincero e verdadeiro em todas as situações.
A honestidade é o grande teste para a nossa herança do universo.
15. Mantenha-se equilibrado. Seu corpo Espiritual, seu corpo Mental,
seu corpo Emocional, e seu corpo Físico; todos necessitam ser fortes, puros e saudáveis.
Trabalhe o seu corpo Físico para fortalecer o seu corpo Mental.
Enriqueça o seu corpo Espiritual para curar o seu corpo Emocional.
16. Tome decisões conscientes de como você será e como reagirá.
Seja responsável por suas próprias ações.
17. Respeite a privacidade e o espaço pessoal dos outros.
Não toque as propriedades pessoais de outras pessoas, especialmente objetos religiosos e sagrados.
Isto é proibido.
18. Comece sendo verdadeiro consigo mesmo.
Se você não puder nutrir e ajudar a si mesmo, você não poderá nutrir e ajudar os outros.
19. Respeite outras crenças religiosas.
Não force suas crenças sobre os outros.
20. Compartilhe sua boa fortuna com os outros.
Participe com caridade.

ARRUME UM AMANTE

Todo palestrante precisa ser incisivo, inteligente e perspicaz se quiser conquistar seu público e quando a platéia interage aí tudo fica mais envolvente e interessante.

Numa palestra, um padre muito competente e requisitado para tal, desenvolvia o tema: como motivar-se e viver sempre feliz.
Após citar vários fatores que levam muitas pessoas durante a vida à depressão, à desmotivação tornando-se uma pessoa apática e muitas vezes desagradável até, exaltou os bons sentimentos como o amor, a amizade, a compreensão e concluiu: mas, infalível mesmo para você resgatar a autoestima, revigorar-se mesmo em idade avançada é você arrumar um amante.
A platéia calou-se, as velhinhas acotovelaram-se, as beatas já imaginaram se daria tempo de contar ainda nesse dia tal fato a todas as amigas.
Eu, no meu canto, pensei: esse padre não é louco, tem algo atrás dessa afirmação que constitui o tema central da palestra.
Ele deu meia volta e com um sorriso maroto foi perguntando para as pessoas:- qual é o seu amante?
De repente me deu um lampejo e sem muito refletir respondi:
-Eu tenho padre!
Ohhhh!! Todos os olhares se voltaram para mim e agora que eu entrara na fogueira tinha que ir até o fim nem que fosse pra me queimar.
- Verdade?Pode nos especificar mais?
-Sim, claro! Eu gosto muito dela (Dela? Jesus, ainda é lésbica...) levanto-me a noite muitas vezes para me encontrar com ela, minhas filhas desaprovam e as vezes sou alvo de comentários pelo que faço.
Até o padre pigarreou, mas como me conhecia, sabia que eu não sou nenhuma louca também e que conheço bem as artimanhas de um palestrante. Voltou-se interrogativamente para mim.
Então conclui:
- É a literatura, padre. Se estiver lendo um livro a curiosidade é tanta que muitas vezes espero meu marido dormir e pé por pé vou até minha escrivaninha e concluo o capítulo que me tirava o sono. Se por outro lado sou eu que estou escrevendo uma obra e acordo no meio da noite com uma idéia sinto que não posso deixar para o dia seguinte. Fico até alta madrugada colocando a preciosa idéia que me fez acordar. Estou muito apaixonada, fascinada mesmo e essa paixão me ajudou muito na cura de uma depressão.
O padre deu uma sonora gargalhada pedindo muitos aplausos por eu ter matado a charada. Suspirei aliviada, pois poderia ter cometido um “mico” como dizem os jovens, mas muitas vezes é muito melhor tentar que ficar calado, sufocando um pensamento.
Foi então que a palestra deslanchou.
Um amante pode ser um novo emprego que faz você renascer, contando os minutos para realizá-lo, pode ser um netinho que você sonhou a vida toda, pode ser um lugar onde você se sinta muito bem e fica contando os dias da semana para lá retornar... Enfim é uma coisa, ou atitude que trás alegria de viver, que faz o sorriso retornar ao seu rosto quando você já se sentia velho e incapaz.
Quando me aposentei comecei a sentir essa sensação de inutilidade, mas também não sentia vontade de realizar nenhum trabalho. Ficava o dia todo ociosa, do PC para a televisão. Ás vezes ajeitando aqui e ali uma gaveta um armário, mas que chatice!!
Foi na AGRA- associação de grupo de apoio que encontrei meu amante.
As pessoas se interessavam muito pela minha experiência de cura de uma depressão e me pedia depoimento que eu acabava por apostilar para distribuir a várias pessoas. Foi então que surgiu a ideia do livro. Não sei por que ainda não havia pensado nisso- eu sempre fui ratinho de biblioteca, meus trabalhos eram sempre muito elogiados. Lembro-me até que preparara uma homenagem tão emocionante para o prefeito que fora visitar a nossa escola que ele agradeceu muito a "professora poeta".
Publiquei meu primeiro livro que trouxe muita alegria. Lançamento, Bienal, convites para coletâneas é tudo uma conseqüência maravilhosa
Veio o segundo livro, também muito procurado, tem um original sendo analisado, um de poesia engavetado (risos) sabe que nem isso me incomoda?Chegará a hora de ele lançar vôo para o mundo.
Ai de mim se não fosse esse amante!
Quando algo me aborrece, corro para o micro e as ideias vão sendo lançadas para a tela enquanto um largo sorriso adorna meu rosto. Quando concluo, nem lembro mais o que havia me aborrecido.
Isso tudo, porque tive coragem e arrumei um amante- é muito bom estar apaixonada e seu marido ou esposa vai ganhar com isso também, pois terá uma pessoa sempre bem humorada, ativa que não envelhecerá jamais.
Escrito por Zilda Costa

ATITUDE

À medida que o jornalista seguia dando a notícia mais estarrecida e incrédula eu ficava. “Um aluno foi colocado fora da sala de aula por mau comportamento e enquanto o inspetor de aluno o levava para a diretoria ele agrediu o funcionário e foi até sua casa chamar o pai. Este furioso veio imediatamente e destratou todas as autoridades da escola e exigiu que seu filho fosse aceito novamente na sala de aula”
Fiquei contorcendo as mãos esperando o desfecho. Foi pior que eu esperava: o jornalista com fisionomia de reprovação concluiu: “o aluno voltou para a sala e vai permanecer na escola sem nenhum corretivo e lá permanecerá até quando desejar.”
Que falta de atitude! Todos temerosos abaixam a cabeça e aceitam os alunos com resignação. São eles que mandam “no pedaço?”
Gostaria de saber de que as pessoas têm medo. De perderem o mísero salário?
Se for isso, muita acomodação porque pelo que ganha um inspetor de aluno, se ele vender banana na feira talvez ganhe muito mais e não sofrerá esse tipo de humilhação. Dizem que violência gera violência, mas esse menino já é um marginal, consequência de uma família igualmente marginalizada.
Se ele desse uns safanões nesse marginalzinho o que iria acontecer? Talvez o pai fizesse um boletim de ocorrência. E daí?A diretora enfrentasse o pai e com firmeza apoiasse a professora dizendo que realmente ele não entraria na escola se não melhorasse o comportamento. Se fosse a primeira vez poderia até dar uma chance, mas daria um castigo de varrer o pátio por dez dias, lavar o banheiro por uma semana. O pai iria ao conselho tutelar ?E daí?
Imponham, argumentem. Se for parar na delegacia , melhor, quanto maior for o reboliço, mais a história da escola que exige respeito se espalha.
Briguem, lutem pelo seu direito. Uma professora não tem autoridade de exigir respeito dentro da sala de aula, mas o marginalzinho bater no funcionário pode?
No livro: “Se os pais e professores derem-se as mãos” de minha autoria conto uma passagem semelhante a essa.
Tomei atitude: expulsei o aluno, enfrentei diretora e enfrentaria quem mais viesse.
Não devemos deixar que percebam que somos frágeis, que precisamos do emprego, que temos medo de enfrentar situações e conseqüências.
Sempre falei em casa: Se por causa de uma atitude justa eu ou algum de vocês pararem numa delegacia, podem ter certeza que enfrentarei de cabeça erguida. Temos que defender nossos direitos.
No nosso tempo, tínhamos cargo efetivo que nos dava mais segurança. As professoras hoje em dia pertencem a prefeitura que exerce poder absoluto. Pobres pessoas que dependem do mísero salário e por isso aceitam humilhações, perderam toda a autonomia e respeito.
Nessas condições eu acho que nunca teria sido professora, mas se fosse teria o mesmo comportamento. Tenho um marido que me apóia?É verdade, mas também nunca dependeria de homem nenhum para pagar minhas contas. Se necessário fosse, venderia banana na feira, seria costureira, artesã, sei lá... Temos vários talentos, basta ter coragem e enfrentar - todos os trabalho são dignos.
Sinto-me revoltada diante da situação em que nos encontramos. Temo pelo nosso futuro e principalmente no de nossas crianças.
A educação vai de mal a pior. Os pais ignorantes não percebem que os filhos é que perdem mais.
Os professores sofrem, apanham, são mortos. Chegaremos ao ponto de não se ter mais professores para por na sala de aula. A marginalidade cresce. O governo diz que está tudo bem.
E ninguém toma nenhuma ATITUDE.
Escrito por Zilda Costa

sábado, 26 de novembro de 2011

Boas Festas!!!

Em 2012,

quero continuar juntando coisas,
que vão ultrapassar a fronteira
entre a terra e o plano espiritual
que tem a chave da eternidade.
Conservar o dom da poesia
não perecível
e da qual faço uso real.
Guardar no coração os bons momentos
e descartar aqueles
que me inspiram desprezos
mas,
não antes
de tirar proveito motivacional
extraindo deles as lições que necessito.
Vou me esforçar
para ter só bons pensamentos,
só boas palavras
pra poder contar com o mesmo
dos meus irmão de caminhada.
Do Natal,
quero um presente.
Quero a luz do sol da manhã,
inclusive das manhãs nubladas,
que nos parecem tão imperfeitas,
e representam uma espécie
de mal humor da natureza,
como se quisesse dizer,
que é solidária
aos nossos miseráveis interesses
advertindo, quem sabe,
tão fáceis de resolver.
Em 2012,
quero emitir vibrações de paz à família,
aos amigos, aos inimigos se os tiver
e ao mundo e seus governantes
tão humanos quanto nós,
e que por isso mesmo,
muitas vezes ignoraram
ou dissimulam
os seus verdadeiros
e sagrados deveres.
Quero um natal e um ano novo,
sem olhares perdidos,
sob vigília constante.
Todos bem alimentados, com saúde, abrigados.
Quero poder contar com mãos estendidas,
estender aos mais necessitados as minhas,
com abraços que se materializem,
e que neste sentido
todos os braços
aumentem cada vez mais de tamanho.
Que sentimentos de ódio, vingança
sejam gradualmente extintos.
Que tenhamos consciência
de que lutas e sacrifícios,
devem ser dirigidos ao olhar do Cristo,
afinal em seu coração,
cabem todos.
O homem não pode prever seu destino.
Mas pode caminhar com armaduras de ferro
à luz de orações ou vibrações sinceras
cuja especialidade
é nos cercar de bons anjos
que auxiliam e consolam
renovando esperanças de dias melhores.
Festas, são passageiras.
O que vale sobretudo é o dia-a-dia
moral e físico
com obrigações a serem cumpridas.


Cecília Fidelli

Sem método é muito difícil se construir uma história




                                                      Por:Wescley Rodrigues
Acaba de ser lançado, na capital de Sergipe, o livro “Lampião, o mata sete”, de autoria do ex juiz de direito Pedro de Morais. Em linhas gerais, a obra, segundo relato da mídia, versa sobre um possível triângulo amoroso entre Lampião, Maria Bonita e Luiz Pedro. Nas pesquisas do autor ele chegou a conclusão de que Lampião tinha sido atingido por uma bala no seu saco escrotal que fez com que este ficasse impotente.

Mas o interessante na obra não é esse ponto, mas sim o que diz respeito a afirmativa que seria Lampião homossexual, sendo que todos os casos que ele teve com mulheres ao longo de sua vida era apenas para ludibriar o meio social em que ele estava. E Maria Bonita? É apresentada como uma mulher perversa, intrigueira, que apenas era uma espécie de “cobaia” para maquiar a homossexualidade do dito “Rei do Cangaço”.
Há ainda outra peculiaridade na obra, essa diz respeito a Luiz Pedro, homem de confiança de Lampião, que na verdade não passava do amante do líder cangaceiro, sendo o ativo nessa relação, praticando atos sexuais tanto com Lampião como Maria Bonita. Frente a isso, me vêm a mente algumas questões interessantes que como historiador e estudioso do cangaço não poderia deixar passar despercebido.
Não canso de dizer que na história do cangaço e nas pesquisas desenvolvidas, muitos escritores esquecem de que qualquer trabalho histórico precisa de um método, método que possa dá caráter de cientificidade a produção e ajude a elucidar as lacunas dos
fatos do passado. Sem método é muito difícil se construir uma história que prime pela verdade ou pelo menos pela verossimilhança. O método não é algo somente de acadêmicos ou daqueles que são portadores de um diploma universitário e fazem da história um ofício, mas o método é uma espécie de rota que faz com que não nos percamos no meio do arsenal de informações que vamos adquirindo ao longo das pesquisas.
Outro elemento preponderante são os documentos, eles são a alma das pesquisas históricas, sejam documentos oficiais, relatos orais, fotografias, mapas, gravuras, etc. Eles possibilitam-nos falar não de forma aleatória, mas nos dão um respaldo, nos servem de pilar para fazermos afirmativas a partir do nosso lugar social de escritores. No entanto, apesar de serem importantes para as pesquisas, não podemos nos deixar levar por eles, pois nem sempre eles são detentores de verdades. Os documentos, como nos ensina o método histórico, devem ser questionados, problematizados, debatidos. Devemos conversar com esses documentos e também entender o lugar de sua produção e construção. Assim, nem todo documento só por ser histórico contem a verdade ou uma verossimilhança.

Pois bem, depois dessa explanação reflitamos um pouco a obra referendada acima. O autor afirma que para a elaboração da mesma ficou no campo das conjecturas, não tendo como ter acesso a fontes primárias, o que já coloca o trabalho em um patamar extremamente problemático. Para a história é preciso de provas, não só fazer ligações, acreditar em hipóteses. Ou você parte da hipótese a prova documental, ou é melhor se calar, pois isso já foge completamente do que se entende hoje como história. Tal afirmativa da homossexualidade de Lampião e do seu poliamor é problemática, pois não se tem documentos palpáveis em que se possa afirmar tal ideia. Qualquer trabalho que fale do passado tem que entender a temporalidade do período estudado, e até onde me consta - não estou afirmando que não tinha -, a homossexualidade no sertão nordestino era um tabu nas décadas de 1920, 1930 e 1940. Ainda não tínhamos passado pela revolução sexual, os homossexuais eram tratados como doentes que precisavam de tratamento, e nesses usavam-se métodos de “cura” extremamente desumanos, como por exemplo eram trancados em manicômios, passavam por tratamentos de choque, eram agredidos por serem tratados como sujeitos sem moral que precisavam ter a sua conduta reabilitada a partir da agressividade.

O fato de Lampião ter voz afeminada, traços e atitudes mais “finas” para aquele meio “áspero” em que viviam – não estou afirmando um “determinismo geográfico” – não vêm a provar que ele era homossexual, pois é uma evidência muito pobre para se lapidar tal afirmativa. O problema em questão não é se ele era ou não era gay, mas a problemática está em não termos as provas documentais que prove isso, o que impossibilitaria de fazermos tal afirmação, até porque sua sexualidade não mudaria em nada o papel que ele desempenhou na história, até porque o que ele fez ou deixou de fazer no meio da caatinga com Luiz Pedro e Maria Bonita, só dizia respeito a eles.
Fora essa afirmativa que é comum na literatura sobre o cangaço de que Lampião era mais delicado nos traços e político no falar e se relacionar, não há nenhuma prova documental até o presente momento que comprove a sua impotência e homossexualidade, até porque em uma realidade social extremamente fálica, onde o culto a masculinidade se ligava ao genital, como tão bem trabalho o historiador Durval Muniz de Albuquerque Júnior, no mínimo era vergonhoso para o sujeito impotente sair espalhando a sua incapacidade de “expelir sementes” e ter ereção.
Concordo com o autor Pedro de Morais quando ele afirma ter por parte dos estudiosos do cangaço uma supervalorização da figura dos cangaceiros e do próprio Lampião que era bandido. Mas temos que entender que essa imagem também é uma construção histórica, daí teríamos como função entender porque de bandido ele passou a ser exaltado, quais os interesses que estariam nivelados em tal mutação representacional. O fato dele ser “bandido” não desqualifica a sua história, pois tanto os bandidos da caatinga, quanto os das favelas, o do congresso nacional, como os generais do exército ou os líderes religiosos católicos, protestantes, judeus ou mulçumanos, são seres históricos e precisam ser entendidos e historiados dentro de sua realidade. Não podemos marginalizar a imagem dos cangaceiros só por eles serem bandidos, mas temos que ter cuidado com essa supervalorização, que devem ser entendidas pelos estudiosos.

Mais do que nunca clamo aos estudiosos do cangaço que respeitem o passado e a história, respeitem os documentos, questionem as verdades, “nem tudo que parece, é”, como diz o ditado popular. Fazer história é lidar com vidas, vidas que deixam memórias que precisam ser respeitadas. É preciso ter um respeito para com o passado, como também para com os vivos do presente que merecem ter pelo menos uma aproximação do que é a verdade.
Prof. Wescley Rodrigues
Brasília – DF

Justiça proíbe lançamento de livro que aponta suposta homossexualidade de Lampião

Paulo Rolemberg

O juiz Aldo Albuquerque, da 7ª Vara Cível de Aracaju (SE), proibiu a publicação e comercialização do livro “Lampião – o Mata Sete” de autoria do juiz aposentado Pedro de Morais. A ação judicial foi movida pela família do “rei do cangaço”, que se sentiu ofendida porque, em um dos capítulos, ele é apontado como homossexual e sua companheira Maria Bonita, como adúltera.

Virgulino Ferreira, o cangaceiro Lampião
Folha Imagem
No livro, o autor afirma que o Virgulino Ferreira, o Lampião, mantinha uma relação homoafetiva com um cangaceiro chamado Luiz Pedro, que também seria namorado de Maria Déia, a Maria Bonita, o que formaria triângulo amoroso.
Ainda no livro, o autor questiona a paternidade de Lampião em relação à única filha do casal, Expedita Ferreira Nunes, 79 anos. Segundo a obra, Lampião teria sido atingido por um tiro na genitália em 1922, o que lhe teria incapacitado de procriação.
A decisão judicial foi expedida ontem (24), momentos antes do lançamento do livro, que ocorreria em uma livraria de Aracaju. Assim, o autor está proibido de divulgar e comercializar o livro em qualquer parte do país. Pedro Morais poderá apenas se defender quanto ao conteúdo da obra.
Segundo o advogado da família, Wilson Winne, a ação judicial foi fundamentada na violação da privacidade. “Direito de liberdade de expressão tem um limite. Essa obra viola a invasão de privacidade. Ele é uma pessoa histórica. Quando se fala de Lampião, é da parte histórica. Que ele era violento, pistoleiro, herói ou bandido, mas neste caso atinge a honra da família. Está interferindo na vida da pessoa, de sua família”, argumentou.
O livro
Reprodução
Capa do livro de Pedro de Morais
Pedro de Morais informou que recorrerá da decisão e afirma que lançará o livro na próxima semana na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Aracaju. “Eu estudo sobre Lampião há muitos anos. Juntando artigos, revistas... Não tenho nada contra a homossexualidade, eu citei como um fato histórico”, justificou o autor.
“Essa teoria [homossexualidade] já existe há mais de 40 anos. Ex-cangaceiros e remanescentes do cangaço sempre confirmaram isso. Não sou eu o criador desse detalhe”, reforçou o autor, lembrando que o antrópologo e historiador Luiz Mott já teria levantando essa tese. "Quero lembrar que a possível homoafetividade de Lampião não é o tema central do livro".
O autor frisou que a visão “romântica” em relação a Maria Bonita foi criada pela literatura de cordel. “Não existia no cangaço, não. Ela era uma mulher pirracenta, inclusive com o próprio Lampião”, diz.
De acordo com Morais, a cangaceira era casada com um sapateiro e o deixou para seguir junto com Luiz Pedro, que como companheiro de Lampião teria

convencido o rei do cangaço a aceitar uma mulher no bando, inaceitável antes da chegada de Maria Bonita.
Na opinião de Pedro de Morais, não existem motivos para endeusar ou mitificar Lampião. “Nenhuma
virtude eu encontrei no bandido em qualquer ato seu”, afirmou.
Biografias e censura
O escritor Ruy Castro teve o livro "Estrela Solitária: um Brasileiro Chamado Garrincha" impedido de circular por 11 anos. No livro, ele dava a dimensão do falo do ex-jogador, o que fez com que as herdeiras de Mané Garrincha entrassem com uma ação na Justiça.
Um livro escrito por Paulo Cesar Araújo com a biografia não autorizada do cantor Roberto Carlos, lançado em 2006, também causou polêmica. Em janeiro de 2007, o artista entrou na Justiça contra o autor da obra, alegando invasão de privacidade. No mesmo ano, o cantor conseguiu impedir a comercialização da biografia e que fossem apreendidos 11 mil exemplares.
Dois projetos de lei apresentados na Câmara dos Deputados propõem permitir que o leitor brasileiro tenha acesso irrestrito a informações biográficas de figuras públicas. Os projetos dos deputados Newton Lima (PT-SP) e Manuela D'Ávila (PC do B-RS) acabam com a proibição às biografias não autorizadas.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Taquicardia, falta de ar e tontura podem ser síndrome do pânico

por Joel Rennó Jr.

Estudo diz que 71% das pessoas que sofrem com o pânico são mulheres.
Hoje muito se fala da Síndrome do Pânico (SP) ou Transtorno do Pânico (TP), porém, em muitos meios, isso passa despercebido, levando todos a procurarem cardiologistas, clínicos gerais e outros profissionais na tentativa de buscar-se uma explicação lógica para uma série de sintomas físicos que ocorrem associados a esse transtorno mental.
Repentinamente, o coração dispara vindo acompanhado de tontura e falta de ar. Um terrível sentimento de morte iminente sufoca o âmago do paciente. Cerca de 20 a 30 minutos depois, tal estado de extrema ansiedade pode desaparecer. As pessoas ficam atormentadas apenas pela expectativa de que uma outra crise aterrorizante possa ocorrer sem avisar e com a pessoa totalmente indefesa ou vulnerável. É como se ela se sentisse ameaçada o tempo todo, com algo terrível e prestes a acontecer, sem que ela possa prevenir.
A prevalência ao longo da vida, segundo dados do National Comorbidity Survey (NCS) dos EUA, é de cerca de 3,5%. Tal estudo detectou também, nas pessoas com pânico, que 71% delas eram do sexo feminino, enquanto 29% eram do sexo masculino. A idade de início da sintomatologia se concentra entre os 15 e 19 anos, sendo raro os casos que se iniciam após os 40 anos.
No Brasil, deve haver entre quatro a seis milhões de pessoas que sofrem com esse distúrbio. Segundo a pesquisadora norte-americana Yonkers, da Universidade de Yale (EUA), ao longo de oito anos, após a completa interrupção dos sintomas, as mulheres têm uma chance de recaída de 64%, enquanto os homens de 21%. Já a remissão (diminuição ou interrupção) dos sintomas, neste período é de 76% para as mulheres e de 69% para os homens.
*Tempo de cura
A cura depende de uma série de fatores biológicos e psicossociais individuais que serão trabalhados adequadamente pelo especialista. Geralmente, o tempo mínimo para a recuperação plena é em torno de 6 a 12 semanas, mas repito, não há regras, depende da resposta individual à psicoterapia, medicação específica, da própria gravidade sintomatológica e da evolução da doença que é variável.
*Sintomas
Os sintomas de pânico mais associados ao gênero feminino são respiração curta, náusea e sensação de sufocamento. Já no sexo masculino, os sintomas mais comuns costumam ser sudorese profusa e mal-estar ou dor estomacal. As mulheres costumam ter mais associação com quadros fóbicos e até transtorno do estresse pós-traumático ou depressão. Geralmente, os pensamentos catastróficos também são mais típicos no sexo feminino, segundo as diversas pesquisas.
O Transtorno do Pânico é caracterizado pela presença repetitiva de ataques de pânico: crises espontâneas, súbitas, de mal-estar e sensação de perigo ou morte iminente, com vários sintomas e sinais de alerta como suor, tremores, rubor facial, taquicardia ("batedeira no coração"), taquipnéia (respiração rápida e superficial), sensação de sufocamento ou "nó na garganta", tonturas, formigamentos, náuseas, vômitos, diarréias e outros, atingindo o pico máximo em cerca de 10 minutos.
As crises de pânico podem levar ao comportamento desadaptativo e congelamento ou busca de fuga ou ajuda (ida a um pronto-socorro) que denominamos pânico.
Geralmente, a pessoa está bem quando percebe que algo indefinido a ameaça. Ocorre uma sensação inesperada de falta de ar, tonteira, flutuação que indicam um risco de vida ou perda da razão que nunca chegam a ocorrer. As mãos gelam e ficam úmidas, a respiração fica difícil, o coração acelera e a pessoa sente-se sufocada. Formigam as extremidades, adormecem os lábios e ondas de calor ou frio ocorrem também. Tudo ocorre em segundos ou minutos. O indivíduo procura ajuda e pode se desesperar. A crise pode passar em cerca de 20 a 40 minutos e é seguida de sensação de cansaço, fraqueza, pernas bambas. No auge da crise, a pessoa pode tomar atitudes de risco como descer do carro em locais de risco, abandonar afazeres domésticos sem os devidos cuidados (como apagar o fogo por exemplo).
As crises de pânico geram muita insegurança e medo. Por isso, levam ao receio de novos ataques, a chamada ansiedade antecipatória. Com isso, as pessoas tendem a se isolar e apresentar a fobia, ou seja, um medo persistente, irracional e intenso de determinadas situações ou contextos sociais.
Interessante também notarmos que as pacientes com pânico têm uma maior taxa de desemprego (59%) contra 31% do sexo masculino, ou seja, o impacto profissional negativo é mais proeminente nas mulheres. A agorafobia (medo de lugares amplos, com muitas pessoas) também é bem mais freqüente no sexo feminino.
*Fatores genéticos
Fatores genéticos certamente contribuem para a sua causalidade visto que 35% dos parentes de primeiro grau de pacientes com Transtorno do Pânico sofrem do mesmo problema, entretanto, isso não deve ser suficiente para a eclosão da Síndrome do Pânico. Há vários modelos explicativos, como os metabólicos (relacionados ao funcionamento do organismo, com a produção de determinadas substâncias químicas) e os neuroquímicos (alterações nos sistemas de neurotransmissores cerebrais como a serotonina, a noradrenalina e, mais recentemente, o glutamato e o óxido nítrico, ou seja, substâncias químicas cerebrais que comunicam as células nervosas), embora nenhuma causa isolada tenha sido determinada.
Outra hipótese é também uma possível disfunção no sistema de alerta do organismo, para situações vivenciais, imaginárias ou reais, potencialmente perigosas e que causam medo, formado pelas projeções do sistema límbico (que rege as emoções e cujo componente mais importante é a amídala) para o hipotálamo e tronco encefálico, controlando todas as respostas do sistema nervoso autonômico.
Deve-se diferenciar o Transtorno do Pânico de doenças físicas como as cardiológicas, pulmonares, endocrinológicas ou neurológicas. Há associação com prolapso valvar mitral (problema de válvula do coração), hipertireoidismo (excesso de funcionamento da glândula tireóide), hipoglicemia (açúcar baixo no sangue) e síndromes vertiginosas (referentes a tonturas).
*Tratamento
O tratamento deve incluir a medicação antidepressiva e a psicoterapia, preferencialmente, a *cognitivo-comportamental, sendo realizado por médicos psiquiatras auxiliados por profissionais da psicologia. Tratamentos alternativos não têm eficácia ou comprovação científica. Não é uma questão de esforço ou força de vontade, temos uma doença de base biopsicossocial bem estabelecida.
Precisamos pesquisar quais são os fatores emocionais que mais sensibilizam os pacientes para preveni-los. As questões ambientais também precisam ser reestruturadas, ou seja, a forma como as pessoas se adaptam às transformações sociais.
No mundo atual, não adianta querermos, utopicamente, eliminar os fatores estressores. Temos, sim, que mudar a forma como as pessoas lidam com os mesmos e o valor que lhes atribuem. É muito comum haver, um ano antes da crise de pânico, a perda de suporte social, mais especificamente, de um amigo ou parente. Em breve, teremos novas medicações que atuem em mecanismos diferentes aos das medicações atuais, agindo sobre novos neurotransmissores envolvidos na gênese do transtorno do pânico como o óxido nítrico e o glutamato, descobertos recentemente.
Concluindo, o paciente com transtorno do pânico não deve ter receio ou medo de procurar o psiquiatra, que é o médico especialista correto para tal tratamento, devido aos seus preconceitos e crenças, pois, dessa forma, estará impedindo um tratamento eficaz e adequado para livrá-lo de seu grande sofrimento e incapacitação.
A doença não tratada afeta e gera sofrimento intenso ao indivíduo e familiares envolvidos. Depoimentos ou testemunhos construtivos de famosos que já sofreram do transtorno e o superaram como Roberta Miranda, Clodovil, Sabrina Parlatore, Fernanda Lima e Ronaldo Ésper, entre tantos, podem ter uma função social relevante. Toda a sociedade precisa se unir nesse sentido.
*Terapia cognitivo-comportamental é uma das linhas de psicoterapia. Visa mudanças práticas de comportamentos patológicos associados à doença, como sensação de perigo perante algumas situações ou locais. Por exemplo, paciente com pânico que evita locais abertos e com grande número de pessoas, porque associa tais locais às crises e tem medo de não ser socorrido a tempo, caso passe mal.
Joel Rennó Jr.

Doutor em Psiquiatria pela Faculdade de Medicina da USP. Coordenador do Projeto de Atenção à Saúde Mental da Mulher-Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP. Médico do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein-SP (HIAE)

População atingida pela Síndrome do Pânico

As pessoas que tem a S.P., em sua maioria, são pessoas jovens (faixa etária de 21 a 40 anos), que encontram-se na plenitude de suas vidas profissionais. O perfil da personalidade das pessoas que sofrem do S.P., costuma apresentar aspectos em comum: geralmente são pessoas extremamente produtivas à nível profissional, costumam assumir uma carga excessiva de responsabilidades e afazeres, são bastantes exigentes consigo mesmos, não convivem bem com erros ou imprevistos, têm tendência a se preocuparem excessivamente com problemas cotidianos, alto nível de criatividade, perfecionismo, excessiva necessidade de estar no controle e de aprovação, auto-expectativas extremamente altas, pensamento rígido, competente e confiável, repressão de alguns ou todos os sentimentos negativos (os mais comuns são, o orgulho e a irritação), tendência a ignorar as necessidades físicas do corpo, entre outras. Essa forma de ser acaba por predispor estas pessoas a situações de stress acentuado, fato este que pode levar ao aumento intenso da atividade de determinadas regiões do cérebro desencadeando assim um desequilíbrio bioquímico e consequentemente o aparecimento da S.P..

Vale ressaltar ainda que alguns medicamentos como anfetaminas (usados em dietas de emagrecimento) ou drogas (cocaína, maconha, crack, ecstasy, etc), podem aumentar a atividade e o medo promovendo alterações químicas que podem levar a S.P..
Retirado da internet

Sintomas físicos de uma crise de pânico

Eles podem incluir :
Contração / tensão muscular, rijeza

Palpitações (o coração dispara)
Tontura, atordoamento, náusea
Dificuldade de respirar (boca seca)
Calafrios ou ondas de calor, sudorese
Sensação de "estar sonhando" ou distorções de percepção da realidade
Terror - sensação de que algo inimaginavelmente horrível está prestes a acontecer e de que se está impotente para evitar tal acontecimento
Confusão, pensamento rápido
Medo de perder o controle, fazer algo embaraçoso
Medo de morrer
Vertigens ou sensação de debilidade
Uma crise de pânico dura caracteristicamente vários minutos e é uma das situações mais angustiantes que podem ocorrer a alguém. A maioria das pessoas que tem uma crise terá outras (se não tratar). Quando alguém tem crises repetidas ou sente muito ansioso, com medo de ter outra crise, diz-se que tem transtorno do pânico.
Observação:fique tranquilo ( a ) síndrome do pânico não mata.

Cantor Renner é internado em clínica de reabilitação,ele tem síndrome do pânico

O cantor, que tem síndrome do pânico, sofreu uma crise depressiva em viagem a Brasília

O cantor Renner, da dupla com Rick, em foto de 2008 no Camarote Bar Brahma durante desfile das escolas de samba do Grupo Especial, no Anhembi (Cida Souza)
O cantor sertanejo Renner Reis, da dupla Rick e Renner, foi internado nesta quinta-feira, 24, em uma clínica de reabilitação particular para tratamento antiestresse, segundo informações postadas em seu blog. Renner, atualmente em carreira-solo, estava em Brasília, para visitar a família e comemorar seu aniversário, no último dia 19. O cantor, que tem síndrome do pânico, sofreu uma crise depressiva durante sua estadia.
Segundo o blog, o médico costumava aumentar a dosagem do medicamento durante essas crises e por conta disso a família resolveu, em conjunto com o cantor, realizar uma internação para um tratamento, a convite do próprio dono da clínica, amigo do cantor.
Renner tem síndrome do pânico desde um acidente sofrido em 2001, e vinha fazendo uso contínuo de medicamentos, o que causou dependência. Os compromissos de divulgação da carreira de Renner Reis por enquanto estão suspensos, de acordo com o blog.
(Com Agência Estado)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO


(Ronna Herman)
AMADO DEUS PAI/MÃE,
A FONTE DE TODA VIDA E LUZ,
OBRIGADA PELO AMOR QUE DERRAMA SOBRE NÓS.
OBRIGADA PELO AMOR QUE ENCHE NOSSOS CORAÇÕES.
OBRIGADA PELO AMOR QUE NOS ENVOLVE,
A TODO MOMENTO DE CADA DIA. OBRIGADA.
OBRIGADA PELO MILAGRE DA VIDA QUE NÓS SOMOS.
OBRIGADA PELO MILAGRE DA VIDA QUE VEMOS REFLETIDA AO NOSSO REDOR.
OBRIGADA PELO DOM PRECIOSO DA VIDA.
REIVINDICAMOS O VEÍCULO FÍSICO PERFEITO,
A SAÚDE E A VITALIDADE QUE O SENHOR PROJETOU E INTENCIONOU QUE TIVÉSSEMOS DURANTE NOSSA JORNADA TERRENA.
À MEDIDA QUE HONRAMOS NOSSO ESPÍRITO E NOSSO CORPO,
NÓS O HONRAMOS.
OBRIGADA.
OBRIGADA PELA ABUNDÂNCIA QUE USUFRUÍMOS.
OBRIGADA PELA ABUNDÂNCIA QUE VEMOS REFLETIDA AO NOSSO REDOR.
OBRIGADA PELOS BENS E RIQUEZAS EM NOSSAS VIDAS.
E OBRIGADA POR TODAS AS COISAS QUE FLUEM CONTINUAMENTE PARA NÓS E ATRAVÉS DE NÓS.
OBRIGADA.
OBRIGADA PELA EMOÇÃO E AVENTURA DE MILHÕES DE POSSIBILIDADES MARAVILHOSAS QUE SÃO NOSSAS.
OBRIGADA PELA BELEZA E HARMONIA AO NOSSO REDOR.
OBRIGADA PELA PAZ E TRANQUILIDADE QUE ACALMA NOSSAS ALMAS.
OBRIGADA PELA ALEGRIA,
PELO RISO E PELOS MILAGRES.
OBRIGADA.
OBRIGADA POR NOSSA LINDA FAMÍLIA,
AMIGOS E ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO QUE ENRIQUECEM AS NOSSAS VIDAS E NOS TRAZEM TANTA ALEGRIA.
E OBRIGADA PELO PRIVILÉGIO DE SERVIR E COMPARTILHAR NOSSOS DONS ESPECIAIS COM OS DEMAIS.
SOMOS ABENÇOADOS.
OBRIGADA,
OBRIGADA,
OBRIGADA.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O CAMINHO DA EXPERIÊNCIA

-Por Wagner Borges -

Há um caminho que não pode serensinado a ninguém: o caminho da experiência!
Ele é feito de vivências práticas no cotidiano da vida.
Cada um tem seu rumo, sua escolha e suas consequências.
A ascenção evolutiva do ser é realizada através de sucessivas vidas, dentro e fora da carne, em vários contextos de aprendizado.
Logo, cada um deve realizar em si mesmo o desenvolvimento de pensamentos claros, o equilíbrio emocional e o domínio das próprias bioenergias.
Ninguém pode realizar esse desenvolvimento no lugar de outro ser.
É valor evolutivo.
É testemunho pessoal.
É iniciação contínua.
É trabalho a ser feito.
É a ampliação da consciência.
É o “vir a ser” de cada um.
Na caminhada evolutiva, váriosseres avançados podem ensinar valores conscienciais sadios à grande massa humana que tateia desnorteada pelas provas da existência terrestre.
Porém, se os mestres espirituais podem indicar bons princípios, nem mesmo eles podem tirar do Ser em evolução a oportunidade do aprendizado e o mérito da vivência.
Nenhum mestre, guru ou instrutor espiritual pode viver por alguém.
Eles podem até sacrificar a própria vida por alguém, mas não podem dar aquilo que só a experiência pode dar: A MATURIDADE DA VIVÊNCIA!

GENTE...

Não tem ninguém sozinho, não.

O que tem é gente bloqueada demais, que não vê o infinito...
Porque só olha para o próprio umbigo.
É gente-pedra!
A natureza do espírito é a liberdade.
Por isso, mesmo ligado ao corpo, ele quer voar...
Mas, o que tem de gente com paúra disso, é uma enormidade.
É gente que se enraíza fortemente no corpo físico.
E o seu adubo é o medo.
É gente-planta!
Na Terra, apesar dos homens se considerarem a espécie mais avançada, há animais que parecem mais inteligentes do que muita gente.
E tem gente mais braba do que muitas bestas da mata.
Tem até gente que nem foi mordida por algum cachorro raivoso, mas que parece ter uma hidrofobia daquelas... Rosnam, mordem e pulam na jugular de quem lhes contraria em alguma coisa.
Também tem aqueles que dão mais patadas do que burro chucro.
É gente-animal (ou melhor, gente-fera!)
Na Terra também tem gente interessante, que tenta fazer o melhor possível.
É gente com defeitos e qualidades, sempre tentando crescer...
Gente que, entre trancos e barrancos, não desiste de lutar.
Gente simples, que ora ao papai do Céu...
Gente como a gente.
É gente-gente!
E, além da Terra, também tem gente...
Gente que viaja pelo universo e vê a assinatura do Papai do Céu em cada astro.
Gente com nave, gente com forma diferente, ou igual, gente sem forma alguma - só com a mente -, e gente comcorpo de luz... Tudo primo da gente.
É gente-estrela!
E, acima de todos os seres, o Papai do Céu, Origem de toda gente... Mineral, vegetal, animal, hominal, angelical, estelar, tudo centelha vital d’Ele.
E como dizem os mestres espirituais, tudo é Ele!
P.S.:
Para finalizarmos esses escritos, deixamos para os leitores uma pitadinha daquela verve extrafísica que alegra a gente:
“Nós, da Companhia do Amor, somos gente-espírito...
Porque o Amor fez a gente ser assim.
Fez a gente crescer...
E nos tornou gente-coração.
É isso. Está dado o recado, para toda gente...”
(Pedimos ao Papai do Céu que ilumine a todos os leitores, para que eles sejam gente-legal!)
Vamos nessa!
- Companhia do Amor* -
A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Curitiba, 14 de novembro de 2011.)

Brasil - Ato que pode virar rancor.



O Cacique Raoni chorou ao saber que a Presidente Dilma Rousseff,
liberou o início das construções de Belo Monte.
Maior que o Canal do Panamá, vai inundar 400.000 hectares de floresta.
Expulsar 40.000 indígenas e populações locais.
Vai destruir o habitat natural de muitas espécies.
Criar energia causando irremediáveis sofrimentos.
Vamos refletir começando pelos pássaros.
Derrubar árvores é derrubar suas casas.
Quem gostaria de ter sua casa derrubada?
Voltar como um pássaro e não encontrar mais o seu lar.
Vidas.
Vôos, passos, em mãos que traçam destinos.
Homens e natureza, simplesmente, enxovalhados.
Cecília Fidelli.

domingo, 20 de novembro de 2011

"Ninguém é atraído para alguém com um coração sem amor!

Todo dia coloque uma pitadinha de amor no seu coração!

Todo dia se proponha a amar mais!
Sabe por que o amor é o segredo de tudo? Porque ele é a essência da simplicidade. Pare de complicar as coisas e você acabará achando o seu caminho, a sua história, a sua missão! Seja simples e o amor surgirá!
A simplicidade olha a natureza sem colocar obstáculos! Por isso, busque na simplicidade a solução de suas dificuldades. Não há outro jeito de conhecer a essência do amor sem ter mais e mais amor em seu coração. Sem amor você não pode conhecer o seu Eu Superior. Sem amor não é possível viver uma vida, viu?
Mantenha o amor fluindo livremente em sua vida e aprenda a amar todos aqueles que te rodeiam! Ame a si mesmo!
O amor que você dá nunca é demais! Não tenha medo de amar! Ame bastantão! E sempre! Nem tente se esquivar do fluxo de amor, mesmo que outros o rejeitem. Você já veio assim de fábrica, sabia? Repleto de amor! Para dar e para receber!
E o que fazer quando for rejeitado na sua forma de amar? Siga em frente! Ame mais e mais! E assim você deixará de ser amargo, endurecido, ferido e medroso! E nesse estado, você não será capaz de ajudar outras pessoas. Ninguém é atraído para alguém com um coração sem amor.
Continue aprendendo a amar! Ou reaprendendo, certo? Então, está esperando o que? Não perca mais tempo e viva intensamente a sua vida amorosamente! Quanto mais rápido aprender isso, melhor!
"Entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente: você é aquilo que fizer de você mesmo" - (Autoria: Luis Carlos Mazzini)

Ao levantar-se

Agradeça a Deus a bênção da vida, pela manhã.

Se você não tem o hábito de orar, formule pensamentos de serenidade e otimismo, por alguns momentos, antes de retomar as próprias atividades.
Levante-se com calma.
Se deve acordar alguém, use bondade e gentileza, reconhecendo que gritaria ou brincadeiras de mau gosto não auxiliam em tempo algum.
Guarde para com tudo e para com todos a disposição de cooperar para o bem.
Antes de sair para a execução de suas tarefas, lembre-se de que é preciso abençoar a vida para que a vida nos abençoe.
Autor: André Luiz
Psicografia de Chico Xavier

Medicação Preventiva

Pense muito, antes da discussão. O discutidor, por vezes, não passa de estouvado.

Use a coragem, sem abuso. O corajoso, em muitas ocasiões, é simples imprudente.
Observe os seus métodos de cultivar a verdade. Muitas pessoas que se presumem verdadeiras, são veículos de perturbação e desânimo.
Proceda com inteligência em todas as situações. Não se esqueça, porém, de que muitos homens inteligentes são meros velhacos.
Seja forte na luta de cada dia. Não olvide, contudo, que muitos companheiros valentes são suicidas inconscientes.
Estime a eficiência. No entanto, a pretexto de rapidez, não adote a precipitação.
Não enfrente perigos, sem recursos para anulá-los. O que consignamos por dessasombro, muita vezes é loucura.
Guarde valor em suas atitudes. Recorde, entretanto, que o valor não consiste em vencer, de qualquer modo, mas em conquistar o adversário no trabalho pacífico.
Tenha bom ânimo, mas seja comedido em seus empreendimentos. Da audácia ao crime, a distância é de poucos passos.
Atenda a afabilidade e a douçura em seu caminho. Não perca, porém, o seu tempo em conversas inúteis.
Autor: André Luiz
Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Agenda Cristã

sábado, 19 de novembro de 2011

Chama Divina

Ao olhar para tudo o que acontece no Universo que conhecemos,

você perceberá que nada acontece por acaso.
Nada é jogado ao vento, nem se move sem razão.
Estrelas, satélites, planetas, marés, ventos e direções,
seguem um plano ordenado, e podem ser acompanhados por equipamentos.
Se em tudo, existe um motivo, uma rota, um destino,
porque seria diferente com o ser humano?
Somos exatamente aquilo que vamos criando,
com nossas experiências, com nossos estudos, desejos...
Quando nos entregamos aos desejos da carne,
sentimos que tudo fica tão "sem graça", tudo passa tão rápido.
Ao contrário, quando nos entregamos aos desejos da alma,
a contemplação da vida, das pessoas e de nós mesmos,
descobrimos um mundo totalmente novo
que vai revelando coisas novas a cada instante.
Alma querida,
só você pode mudar o que não está de acordo com o seu desejo.
Só você pode virar esta ou aquela rua, comer esta ou aquela refeição,
fumar este cigarro que mata,
beber esta bebida que tira os sentidos,
usar a droga que finge libertar,
enquanto aprisiona cada vez mais a sua alma.
Alma querida,
só você pode escolher onde seus passos vão te levar.
Por isso, pense...reflita...analise os prós e os contras,
afinal de conta, quem vai receber os frutos daquilo que você plantar,
é a pessoa mais importante na sua vida: você mesmo.
Alma querida,
sorria para a vida que se expressa de mil formas,
e em todas elas, a que mais se destaca, o amor Universal,
te abraça agora em forma de brisa, de chuva miúda,
de frio da tarde, ou do calor do Sol que a todos ilumina,
sem distinção, sem se importar com nenhuma qualidade que julgámos importante.
Não se julgue.
Não se compare.
Não se exalte.
Tudo é luz, inclusive você, chama divina que tudo pode.
Paulo Roberto Gaefke